Entidades sindicais dialogaram na manhã desta quinta-feira (28), sobre o adicional de periculosidade para os policiais civis, policiais militares e bombeiros militares

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE), Adriano Bandeira, participou nesta quinta-feira (28), de audiência pública na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), a convite do deputado estadual Capitão Samuel, vice-presidente da Comissão de Segurança Pública. Na pauta, ouvir e debater as principais reivindicações da categoria, entre elas, o pagamento do adicional de periculosidade para policiais civis, policiais militares e bombeiros militares.

“Estamos aqui para reforçar a importância dessa pauta única que é o adicional de periculosidade. Sabemos que a decisão de pagamento acaba sendo do Chefe do Executivo, mas entendemos que aqui estão os representantes do povo, mostrando-se comprometidos com a nossa luta, em levar as nossas considerações para o governador Belivaldo Chagas. É importante destacar que diariamente temos homens e mulheres que se arriscam para proteger e servir a sociedade, e que estão aqui exigindo o mínimo, que são condições de trabalho mais dignas tanto na capital como no interior do Estado; como também a volta do pagamento do adicional de periculosidade, direito previsto na Constituição Federal e que nos foi retirado”, salientou Adriano Bandeira, presidente do Sinpol/SE.

Movimento Polícia Unida

O Movimento Polícia Unida é formado por nove entidades sindicais e representativas: Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE); Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE); Associação Militar Única; Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Sergipe (Aspra); Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise); Associação Integrada de Mulheres da Segurança Pública em Sergipe (Asimusep); Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese); Associação dos Militares da Reserva Remunerada e Pensionistas do Estado de Sergipe (Asmirp/SE); e Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros (ACS-SE).

Compartilhe!